Geciano Vieira
Esporte


Junior Mariano
Criminalística


Deoclecio Neto
Religião & Politica


Rey Mendes
Literatura


Carlos Eduardo
Interior


Major Elizete
Ponto de vista


Elpídio Jr
Primeira Capital


Jackson Coêlho
Jornalismo de rua


Valdete Santos
Fé em foco

Mulher que vive como homem dá à luz e quer se registrar como “pai” de bebê

Uma mulher que hoje vive como homem decidiu cravar uma batalha judicial contra o escritório que administra os registros de nascimentos e mortes na Inglaterra e no País de Gales, o motivo da ação seria porque após dar a luz a um bebê, ela quer ser registrar como pai da criança.

Usando a identidade de Freddy McConnell, de 32 anos, ao tentar registrar o bebê, em Londres, na Inglaterra, o funcionário do cartório informou que ela só poderia ser registrada como mãe da criança. Freddy teria insistido que queria que seu nome aparecesse como pai na certidão de nascimento.PUBLICIDADE

Devido a recusa do General Register Office, o cartório de registros, iniciou-se uma batalha judicial por “discriminação”. Chamado pela comunidade LGBT como “homem transgênero”, ela atua como jornalista no The Guardian, veículo inglês.

A revista Crescer informa ainda que McConnell teve seu pedido de anonimato negado, pois não teria informado que sua história já estava exposta no jornal que trabalha. Ela pedia que sua identidade e a de seu filho fossem protegidas, impedindo que seu nome aparecesse na mídia, usando apenas as iniciais “TT” e “AA”.

O juiz Andrew McFarlane, presidente da Divisão de Família da Alta Corte Britânica, deve decidir sobre se “o homem trans” deve ser chamado de pai da criança ou de mãe. Essa decisão deverá sair até o final desta semana. Os advogados acreditam que a criança será a primeira nascida na Inglaterra e no País de Gales que não terá uma mãe legal.

Em outros casos semelhantes, o registro de nascimento de filhos de “homens trans” foi feito normalmente, colocando o sexo biológico acima da ideologia. Essa questão é vista como uma tentativa de desconstrução dos valores familiares.

Freddy começou a transição para viver como homem em 2010, aos 23 anos, iniciando o tratamento com testosterona em 2013. Em 2016 procurou uma clínica de fertilidade para engravidar.

Na época, seu tratamento hormonal foi suspenso e o ciclo menstrual reiniciado, engravidando em 2017.

Antes do tratamento buscou um “certificado de reconhecimento de gênero”.

Sobre o Autor

Redator
Formado em Ciência da Computação, Jornalista, Designe, Casado, 35 anos.
Redator Geral do Site Colônia News, Coordenador de propaganda e estrategista Politico.

Whatsapp: 89 99439 - 9313

Redator

Formado em Ciência da Computação, Jornalista, Designe, Casado, 35 anos. Redator Geral do Site Colônia News, Coordenador de propaganda e estrategista Politico. Whatsapp: 89 99439 - 9313

4 comentários em “Mulher que vive como homem dá à luz e quer se registrar como “pai” de bebê

  • 17 de agosto de 2019 em 18:41
    Permalink

    I simply want to say I am newbie to blogging and site-building and seriously loved your web site. Almost certainly I’m planning to bookmark your blog . You certainly have incredible well written articles. Kudos for revealing your website page.

    Resposta
  • 14 de setembro de 2019 em 12:29
    Permalink

    Hiya, I’m really glad I’ve found this info. Nowadays bloggers publish just about gossip and web stuff and this is really annoying. A good blog with exciting content, that’s what I need. Thank you for making this web site, and I’ll be visiting again. Do you do newsletters by email?

    Resposta
  • 19 de setembro de 2019 em 20:46
    Permalink

    Awesome write-up. I’m a normal visitor of your blog and appreciate you taking the time to maintain the nice site. I will be a regular visitor for a long time.

    Resposta
  • 19 de setembro de 2019 em 22:30
    Permalink

    Hey there. I discovered your website by means of Google at the same time as looking for a related matter, your site came up. It looks good. I’ve bookmarked it in my google bookmarks to come back then.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *