Geciano Vieira
Esporte


Junior Mariano
Criminalística


Deoclecio Neto
Religião & Politica


Rey Mendes
Literatura


Carlos Eduardo
Interior


Major Elizete
Ponto de vista


Elpídio Jr
Primeira Capital


Jackson Coêlho
Jornalismo de rua


Valdete Santos
Fé em foco

“Rei do bitcoin” tem bens bloqueados após dívida de R$ 70 milhões

O empresário Claudio Oliveira, dono do Grupo Bitcoin Banco, de Curitiba (PR), teve o sequestro de bens decretado pela Justiça na última sexta-feira (16). Conhecido como “rei do bitcoin”, Oliveira e a empresa respondem a mais de cem processos judiciais e têm uma dívida milionária com clientes que não conseguiram fazer saques em suas contas.
Uma das ações foi movida pelo advogado Gustavo Bonini Guedes, que representa clientes com cerca de R$ 13 milhões a receber. O valor total devido pelo grupo, segundo Guedes, gira em torno de R$ 70 milhões, mas não é possível saber o montante exato, porque muitos processos correm em segredo de Justiça.
A assessoria de imprensa do Grupo Bitcoin Banco disse que não vai se pronunciar sobre o caso. O assessor de Oliveira também disse que não haverá pronunciamento jurídico.

Viagem marcada para a Suíça na quarta-feira 

Para não ter os bens confiscados, Oliveira teria se comprometido a pagar parte das dívidas nesta segunda-feira (19), o que não aconteceu, segundo Guedes, que teve uma reunião com o empresário no começo da tarde de ontem.

“Ele alegou que não tem recursos suficientes e pediu um prazo maior para fazer o pagamento. Eu disse que o prazo final seria hoje”, afirmou o advogado..
Ele disse que está em contato com oficial de Justiça para retomar a busca e apreensão dos bens, que incluem sapatos, joias, bolsas e outros objetos de alto valor que podem ajudar a quitar as dívidas. A ação, segundo o advogado, deve ocorre entre hoje e terça-feira (20).

O empresário afirmou que deve viajar para a Suíça na quarta-feira (21) para visitar sua filha, segundo Guedes. O Banco Bitcoin não confirmou a informação, nem desmentiu. O assessor disse apenas que “não há nada a respeito disso”.

Investiu R$ 35 mil e não consegue sacar

Os problemas do grupo, que tem dez empresas, vieram à tona em maio deste ano, quando usuários começaram a ter problemas para fazer saques na plataforma. O engenheiro de telecomunicações Gonçalo Almeida, 48, é um deles. O português, que conheceu o grupo em maio deste ano, afirma ter cerca de R$ 35 mil na plataforma.

“Desde então, não consigo sacar nada. Parece-me um golpe para enganar trouxas. Não existe isso de ficar tanto tempo com o saque bloqueado”, disse Almeida, que opera com bitcoins há cerca de dois anos. Em grupos do WhatsApp, promete devolver tudo

Desde o início dos problemas na plataforma, Oliveira tem-se pronunciado em grupos do WhatsApp e Telegram que reúnem clientes do banco. Ele afirmou que irá sanar todas as pendências.

Em um dos áudios, divulgado neste mês, o empresário afirmou que reconhece a situação e disse trabalhar para resolvê-la. Disse, ainda, que os problemas estão maiores por causa dos clientes que entraram na Justiça.

Na semana passada, clientes do grupo, que tem mais de 20 mil usuários, segundo a Folha, fizeram uma manifestação na sede da empresa, na região central da capital paranaense.

(Por: UOL)

Sobre o Autor

Redator
Formado em Ciência da Computação, Jornalista, Designe, Casado, 35 anos.
Redator Geral do Site Colônia News, Coordenador de propaganda e estrategista Politico.

Whatsapp: 89 99439 - 9313

Redator

Formado em Ciência da Computação, Jornalista, Designe, Casado, 35 anos. Redator Geral do Site Colônia News, Coordenador de propaganda e estrategista Politico. Whatsapp: 89 99439 - 9313

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *