Geciano Vieira
Esporte


Junior Mariano
Criminalística


Deoclecio Neto
Religião & Politica


Rey Mendes
Literatura


Carlos Eduardo
Interior


Major Elizete
Ponto de vista


Elpídio Jr
Primeira Capital


Jackson Coêlho
Jornalismo de rua


Valdete Santos
Fé em foco

O Reencontro de Tomé com Jesus Cristo

INTRODUÇÃO: É possível que a simples leitura do nome do apóstolo Tomé, leve o leitor a relacionar este artigo com mais uma mensagem sobre a dúvida e a incredulidade. Tomé é um apóstolo muito conhecido não só no meio evangélico como entre os católicos e os ortodoxos, mas muitas vezes, infelizmente, mal conhecido.

Todos conhecem a passagem em que Tomé manifesta a sua incredulidade, o seu nome tem sido utilizado por muitos pregadores para mensagens sobre o assunto, e por muitos incrédulos para justificar as suas atitudes, como se Tomé fosse o símbolo da dúvida e da incredulidade.

BASE BIBLICA:  JOÃO 20:24-29

As primeiras referências que os evangelhos nos dão sobre Tomé vêm nas listas dos apóstolos. Tanto em Mateus 10:2/3 como Marcos 3:18 como Lucas 6:15 o nome de Tomé aparece relacionado com o de Mateus. Porque será que os evangelistas relacionam sempre estes dois apóstolos, Tomé e Mateus?

Mas vejamos a primeira passagem que nos fala de Tomé e que se encontra em João 11: 16

Disse, pois, Tomé, chamado Dídimo, aos condiscípulos: Vamos nós também, para morrermos com ele.

Uns dias antes desta descrição, Jesus em Jerusalém identificara-se como o Filho de Deus, sendo rejeitado pelos judeus que pegaram em pedras para o matar. No entanto, segundo João 10:39/40 …procuravam, pois, prendê-lo, outra vez, mas ele escapou-se das suas mãos. E retirou-se de novo para além do Jordão…

Mas, vejamos agora outra passagem em João 14:6.

Disse-lhe Tomé: Senhor, nós não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho? Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim.

No entanto, o Mestre, vendo a tristeza de Pedro, disse-lhe as consoladoras palavras: Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. o pedido haveria de persistir na mente dos apóstolos, …crede também em mim… Apesar de tudo que virem, apesar de tudo que acontecer, crede em mim.

Temos agora a passagem mais conhecida em, João 20:24 – 29.

Ora Tomé, um dos doze, chamado Dídimo, não estava com eles, quando veio Jesus. Disseram-lhe pois, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele disse-lhes: Se eu não vir o sinal dos cravos nas suas mãos, e não meter o dedo no lugar dos cravos, e não meter a minha mão no seu lado, de maneira nenhuma o crerei.

E oito dias depois, estavam outra vez os seus discípulos dentro, e com eles Tomé. Chegou Jesus, estando as portas fechadas, e apresentou-se no meio, e disse: Paz seja convosco. Depois disse a Tomé: Põe aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; e chega a tua mão, e mete-a no meu lado; e não sejas incrédulo, mas crente. Tomé respondeu, e disse-lhe: Senhor meu, e Deus meu. Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram.

Diz o versículo 24 que Tomé… não estava com eles quando veio Jesus. A Bíblia não nos diz onde estava Tomé, no entanto, sabemos que ele perdeu esta oportunidade maravilhosa de ver o Cristo ressurrecto por não estar com os outros apóstolos. Como consequência, todos creram na ressurreição, menos Tomé.

O versículo 25, Diziam-lhe, pois, os outros discípulos… é certamente só um resumo duma grande discussão. É natural que eles discutissem durante muito tempo, talvez falassem todos ao mesmo tempo tentando convencer Tomé, mas foram mal sucedidos.

Para uma pessoa realista como Tomé, fora contraproducente o entusiasmo com que o quiseram convencer. Como resultado da discussão, Tomé ficou ainda mais agarrado à sua dúvida, acabando com a discussão com a sua tão conhecida afirmação: Se eu não vir o sinal dos cravos nas suas mãos, e não meter o dedo no lugar dos cravos, e não meter a minha mão no seu lado, de maneira nenhuma o crerei.

A convivência com Jesus levara Tomé a um mundo que não era o seu, e nesse momento, afastado do seu Mestre, voltara à sua antiga natureza materialista.

Assaltado pela tristeza, pela dúvida e pela desilusão, recusava-se a crer mesmo naquilo que visse, até que pudesse agarrar com as suas mãos e fazer como os cegos que por vezes se enganam menos que os outros.

Primeiro Maria Madalena, uma fraca testemunha em que os apóstolos não creram.

Depois aparece a mais mulheres, mais tarde a dois discípulos a caminho de Emaús cujo testemunho também foi recebido com muita reserva da parte dos outros crentes.

Em seguida aparece estando os apóstolos e outros discípulos reunidos, colocando-se no meio deles. Cristo teve o cuidado de se colocar no meio, para desfazer qualquer dúvida quanto a ilusões de óptica ou efeitos de luz. Ele se colocou no meio, para ser visto sob todos os ângulos e ainda mais do que isso. Segundo nos conta Lucas, Cristo pede alguma coisa para comer e tendo-lhe dado um pedaço de peixe assado, ele o comeu.

Jesus dirige-se para Tomé e coloca-se na sua frente. Põe aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; e chega a tua mão, e mete-a no meu lado; e não sejas incrédulo, mas crente.

Numa crise de fé, Tomé tem de decidir e agir. Ele sente uma nova, verdadeira e poderosa fé nascer no seu coração.

Tomé, movido pela poderosa fé que sentia no seu coração, disse o que até aí não tinha descoberto: Senhor meu, e Deus meu.

Tomé não se limita a ter uma nova opinião sobre a ressurreição de Jesus. Ele toma uma decisão. Senhor meu. Ele se arrepende e entrega-se incondicionalmente a Jesus aceitando-o como seu salvador.

Deus meu. Já não era a mesma fé sem esperança, movida pela lealdade a um amigo. Daí em diante, Tomé punha Cristo em igualdade com Deus Pai, cria em Cristo como o Filho de Deus.

Por vezes uma fé forte cresce vagarosamente.

Após três anos de estudos e experiências, alegrias e desilusões, Tomé atingira a verdadeira fé em Jesus Cristo como Deus omnipotente.

CONCLUSÃO: Tomé, o obstinado descrente no testemunho até aí dado pelos apóstolos, passara a ser o mais convicto de todos, avançando logo do facto da ressurreição para o adorar como Senhor e como Deus.

Quando da primeira vez Tomé se decidira a seguir a Cristo para morrer por ele, arrastara os outros apóstolos após si.

Com esta nova experiência de Tomé e com a sua declaração de fé, quantos crentes através dos tempos tem Tomé trazido aos caminhos do Senhor? Podemos dizer que, Tomé duvidou para que nós pudéssemos crer.

Ministrada pelo Pastor Geciano Vieira na Igreja Batista Sinai

Dia 15/2019

Redator

Formado em Ciência da Computação, Jornalista, Designe, Casado, 35 anos. Redator Geral do Site Colônia News, Coordenador de propaganda e estrategista Politico. Whatsapp: 89 99439 - 9313

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *